terça-feira, 7 de outubro de 2008

Vida louca vida... Vida, leva eu...

.



A vida gira em círculos intermináveis que tornam nossas histórias circunferências pleonásticas.

Circundando a nós mesmos como se pudéssemos sair do próprio corpo e transcender à outra esfera, obvervamo-nos. Como ramsters fofinhos presos em caixas de papelão, aonde o ar só entra pelos poros artificiais da prisão. Poros que transpiram a vida e a morte do ser.
A vida abafada. Circundada de redundâncias hiperbólicas de vidas eufêmicas. A metáfora da vida.
Obvervamo-nos. A vida repete-se, então.
Como se fôssemos secundários de nós mesmos.
Coadjuvantes da própria história.

"Como está?"
"Nem eu sei"


Vida louca vida... Vida, leva eu...


[inspirado em comentário de um amigo ;D]


W.A.M.

Um comentário:

_Eddie_ disse...

concordo com a duvida existente na possibilidade inerente do acaso.

ré!

^^