quinta-feira, 8 de março de 2012

Desaguando

Posso ser clara e calma como negra e obtusa. Minhas águas correm entre bifurcações que levam aos maiores prazeres ou a lugar nenhum. Revoltas como a tempestade, banham novas margens e moldam montanhas para desaguar de alturas exorbitantes e serem a calmaria que mata a sede de todos, menos a própria.

W.A.M.

Um comentário:

•Júnior• disse...

Você escreve bem, gostei do teu blog. :]